O que Plantar antecede o que colher

Na vida, todos temos vontades e desejos, parcimônias e desentendimentos, verdades e não tão verdades...

Entender o outro ainda é uma dificuldade, como é o entender a si mesmo, pois os frutos são vários, mas a árvore mãe/pai é uma só.

Todos viemos do Todo e ao Todo voltaremos. Apenas o pó - a parte minima de cada parte de nossos corpos, voltará um dia a ser pó.

Mas uma parte integrante é aquela que congrega, une, auxilia, coordena para a Paz e faz esforços para a concordância.

Inútio é bater na pedra, se dela queremos água. Mas cultivar os lírios trás sempre bonança.

Podemos fazer sempre o melhor de nós mesmos, ou pestanejar da dificuldade que é o mundo e os seres nele presentes.

Mas, o que fazer se a roda é quadrada? Talhar a roda. Ela só roda se conseguirmos lhe dar este formato.

Pois bem, somos sempre a rocha bruta, antes do escultor, que será a vida e nós mesmos, a fazê-lo.

Assim, buscar consagrar mais tempo ao que é divino, que repercute ou zela pela evolução mental do ser humano, é o melhor que temos a fazer...

Não há desculpas capazes de nos enredar a desistirmos de tal jornada, nem motivos consagráveis aos outros por nossos tropeços.

Apenas nós podemos nos polir, e, talvez, pelo exemplo, consigamos que surja nos outros, tal desejo.

A humanidade sempre será capaz de reverter os seus males, mas isto sempre dependerá do seu sincero desejo de trabalhar para isto, primeiro com você, na atitude com os outros, e nos outros, por algo que eles percebem em você, que seja sincero, criativo, positivo, humanista e/ou caridoso.

Desta forma, podemos ser mais, individualmente, e como peça do Todo que somos, melhoramos o próprio TODO.

Este é único caminho...!

Lembre-se: Se sua verdade fere, não é verdade! Se tua mentira apoia, será sempre a mais bela das mentiras, ou talvez, uma futura verdade.

Antes deste havia...