Carta aberta à sabedoria

"Tempos há que eu não a vejo
mas ela está sempre ali, à minha espera..."

A muito tempo, ouvi de uma voz, que os ventos trazem a sabedoria, assim como a levam....

O que significaria isso. Será que é o vento quem fala... ou será nossa mente, apenas mero paradeiro dessa tal sabedoria.

Fiquei a pensar, e uma idéia me veio. Vou escrever uma carta a essa tal sabedoria... Dizer-lhe o que penso de seus segredos... Lamuriar a falta que ela me fez, quando tomei decisões erradas....

Mas como enviar-lhe a carta.... Pensei, pensei e repensei, até que em meus ouvidos soaram:
" pois não, solte-a ao vento...."
Assim o fiz...

Meses depois, em uma ventania, ocorreu-me aos ouvidos, o som de uma resposta:
"Vinde rápido, pois vai rápido o meu domínio sobre ti. Mais divagas que conferes... gasta teu tempo mais em lamúrias do que em produzir... O que espera que eu faça, se não vir rápido, já que não tenho morada em teus pensamentos ??!?!"

Quando vi, restou-me apenas um vazio, e ela se fora....