Tarde da Noite...

Tarde da Noite
Me levantei e vi que estava nu...
Era tarde
Depois de um dia,
Antes do Amanhecer...

Tive dúvidas sobre a vinda de um novo Sol,
Sobre o nascer de um novo dia....
Pois era tarde...
E era noite...

Controlei-me a sorte,
Dispus meu pensamento no dia,
Mas ainda era noite...
E o sombrio me rondava...

Tentei iludir meu pensamento...
Tentei imaginar a primavera...
Mas ainda era noite...

Talvez a guia do dia tivesse sido pouca...
Talvez eu tenha me esquecido de como era a luz do Sol...
Faltou-me crenças....
Faltou-me calor....
E era noite ainda....

No fundo de minha alma...
Na escuridão do meu quarto...
Ainda era noite....
Meu Deus, por que???

Tentei não chorar....
Mas era noite....

Tentei não esmaecer...
Mas era noite...

No fundo da minha solidão,
Encontrei o chão...
Frio e seco....
Pois era noite...

De meu rosto o pranto rolou
E as águas entraram no chão...
O chão inundou-se....

De repente, de minhas lágrimas,
Águas profundas que eram...
Lembrei do orvalho a serenar...
Do orvalho a serenar,
Lembrei das rosas da noite...
Pensando nas rosas,
AS vi nascer e crescer,
Ninadas pelo orvalho da noite...

Então eu vi flores...
Então eu vi sementes...
Imaginei o germinar....
E imaginei que os frutos viriam depois...

Quando dei por mim,
Já era dia,
E os primeiros raios de sol
Inundavam a minha casa

Amanhecia....
A noite passara....


Escrito em 28/06/2004 - Texto d'Ament - A Voz que voz fala!

OBS: Este texto pode ser divulgado,
mas, mantenham o endereço da fonte: " www.ament.com.br"